Alergia nas Axilas: O que Causa e Como Tratar?

São muitas as causas para alergias nas axilas – e igualmente muitos os tratamentos. Confira.

A irritação pode ser motivada pelo desodorante ou pelo sabonete. São muitas as causas das alergias nas axilas (e, consequentemente, das oportunidades para eliminá-las). Os sintomas podem incluir coceiras, irritação, surgimento de flocos na pele, escurecimento, dor e aumento do odor provocado pela transpiração.



Alergia nas Axilas

alergia nas axilas

Com tantas causas, é natural que as consequências sejam muito diversas. O importante, na identificação das alergias nas axilas, é verificar o que é natural e distinguir estes motivos daqueles que são anômalos. Somos naturalmente colonizados por milhões de bactérias. Estes micróbios, para usar um termo bastante antigo, são responsáveis por consumir células mortas em nossa pele e desenvolvem muito bem estas e outras bactérias.

Mesmo o crescimento anormal destes microrganismos não significa algum problema de saúde ou alteração do equilíbrio do nosso “universo de microrganismos” (são trilhões deles habitando nossos órgãos e sistemas). Em períodos relativamente curtos, eles proliferam a ponto de causar alguns constrangimentos. Os mais comuns são o “cecê” e o “chulé”: respectivamente, o mau odor nas axilas e nos pés.

Bactérias podem causar coceira nas axilas

Isto não significa problemas necessariamente, nem, ao menos, falta de higiene. Qualquer esforço excessivo (como qualquer ser humano já testemunhou) é capaz de gerar uma carga maior de trabalho para as glândulas sudoríparas: é um sinal de que elas estão produzindo mais suor, para suprir a determinadas necessidades (é o excesso que gera maior crescimento das bactérias – elas têm até sobrenome, écrinas e apócrinas; estas últimas são as “mais culpadas” pelo cecê: elas gostam de crescer nos pés, axilas, área genital, região dos mamilos e couro cabeludo).

São as apócrinas as responsáveis pelo mau cheiro (as outras bactérias colonas, assim como alguns fungos e leveduras comensais, só coabitam com as “fedidas”, sem contribuir em nada para o odor). Elas só trabalham demais quando o organismo secreta mais suor, um sinal de que o organismo precisou “fazer hora extra” para regular a temperatura externa.

Nosso organismo está regulado a funcionar regularmente com temperaturas externas (à flor da pele) por volta dos 36,5°C. Acima ou abaixo disto (febres ou hipotermias), ele passa a demonstrar oscilações que podem gerar prejuízos à saúde interna. Especialmente, no início, provocam problemas à saúde externa (alergias, por exemplo) – e estes podem ser bastante graves. alergia no sovaco

Coceira nas Axilas, como tratar?

Micoses, brotoejas, alergias e eczemas são os principais sintomas de problemas na pele. Estes sintomas, no entanto, longe se significar questões passageiras, podem estar associados a problemas mais graves nos rins e no fígado.

Mesmo a pele seca e desidratada pode significar problemas, mas, em geral, as coceiras – que sãos os primeiros sintomas de alergias nas axilas – são sinais benignos. Geralmente, estão associadas a problemas com desodorantes ou com depilação. Portanto, o primeiro ponto a seguir é verificar é se o desodorante não é o responsável: há muitos produtos que provocam irritações, mesmo sendo indicados como bactericidas.

Em segundo lugar, deve-se verificar se a depilação das axilas não é a responsável pelas coceiras. Cremes de depilação e, principalmente, a raspagem das áreas, são os principais “culpados” pelas alergias nas axilas. Usar desodorante logo após a depilação é quase pedir que elas fiquem irritadas.

Alergias nas axilas também podem ser provocadas por irritações em outras áreas da pele. Uma etiqueta roçando o pescoço pode ser a responsável. As axilas são regiões bem sensíveis – basta verificar a área sem tecido contíguo (um músculo, por exemplo) da região. Elas também são comumente agredidas com aparelhos de corte (como giletes).

É preciso lembrar que as axilas, como todas as áreas do corpo, não devem ser machucadas com cortes evidentes, como os da depilação, e que são sensíveis a agentes químicos, como desodorantes antiperspirante. É uma região que deve respirar e transpirar, ao contrário do que dizem os muitos anúncios comerciais.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *